quinta-feira , 20 junho 2019
Breaking News

GLÚTEOS – Levando treino a sério

A internet, redes sociais e youtubers afins, vieram para acrescentar muito e deixar as pessoas com mais acesso a informações, pesquisas, avanços da ciência do esporte, técnicas de treinamento, entre outras coisas; no entanto, como tudo, isso também tem um lado não tão positivo. Muita informação equivocada e mal interpretada, sem nenhum embasamento científico e por vezes até mal intencionada, nos é apresentada. Vídeos de celebridades, ou sub celebridades, se é que existe essa expressão são apresentados executando exercícios, em sua maioria, com muito pouca ou nenhuma eficácia, confundindo as pessoas, em sua maioria leigas, que não entendem, por exemplo, a diferença entre um bumbum desenvolvido com exercícios que realmente funcionam, treinamento duro e boa alimentação, com próteses e glúteos montados com aplicação de metacrilato.
“Nossa, mas olha essa bunda!!!”…
Deixa eu te contar uma coisa. Essa bunda é fake,
kkkkkk!

Não sou, em absoluto, contra procedimentos dessa natureza, acho até que em alguns casos são necessários, e cada um sabe o que é melhor para si, o que não pode é mostrar vídeos de um bumbum que ficou bonito por conta desses procedimentos, dando entender de forma capciosa, que o resultado se deu por conta da execução de exercícios que tem sua eficácia comprovadamente questionável; tudo com o único intuito de ganhar “likes”.

Também sou a favor de que todos os profissionais devem mostrar seu trabalho e conquistar seu espaço, mas nunca devemos nos esquecer que somos profissionais da área da saúde e estamos lidando com a integridade física e até psicológica das mesmas, portanto a coisa é muito séria e para tanto deve haver muita responsabilidade.
E já que a pauta é bumbum, vou então me aprofundar um pouco mais no tema. Quais são os “bandidos e os mocinhos” dos exercícios para os glúteos?

Existem vários exercícios que ficaram “famosos” nas academias porque fulana ou beltrana fazem o tal exercício, outros eu nem sei dizer bem porque são tão executados apesar da sua ineficácia comprovada diversas vezes em trabalhos realizados por profissionais renomados na fisiologia, cinesiologia e biomecânica. Entre eles estão, em primeiro lugar no ranking o exercício de quatro apoios com a “bendita” tornozeleira: O trabalho do músculo depende do momento de força, que depende da distância vertical entre o ponto de aplicação da carga e o eixo de movimento. Nesse exercício (coice) considere a articulação do quadril como eixo e o tornozelo como ponto de aplicação da carga. Perceba que ao final da fase excêntrica (descida), o momento de força se anula, já que o tornozelo está abaixo do quadril, ou seja, não há trabalho do glúteo. Resumindo de forma bem simples, o movimento isotônico (movimentos executados na musculação) consiste em alongar e contrair o músculo e deve existir uma força contraria durante toda a amplitude do movimento; no coice isso simplesmente não acontece.

A força máxima é feita somente quando a perna está esticada (paralela ao chão) onde a força contrária se dá por conta da gravidade, iniciando-se o movimento de descida a força contrária deveria ser para trás, no entanto ela continua sendo para baixo, por conta da nossa amiga gravidade que age na tornozeleira, sendo assim o movimento torna-se praticamente uma isometria. Portanto NÃO é uma boa opção de movimento quando o intuito é aumentar o bumbum. Talvez a utilização desse exercício realizado antes de um agachamento, de forma conjugada (bi-série), como uma pré exaustão, fosse uma opção para quem não quer abrir mão e não vive sem ele.

Em segundo lugar está a elevação pélvica/elevação de quadril. Outro exercício de isometria, pois o movimento não promove uma flexão de quadril com amplitude adequada, o que seria de suma importância para o resultado esperado. Isso sem contar que o glúteo máximo possui uma grande capacidade de produzir força devido ao seu volume, tipo de fibras e ângulo de penação. Portanto, mesmo que você coloque o Empire States Building em cima de você, promovendo cenas surreais dentro da sala de musculação, o trabalho maior seria dos sinérgicos e estabilizadores. Mais uma vez é uma péssima opção quando a idéia é hipertrofiar os glúteos.
Nem vou comentar nada em relação ao leg press “de ladinho” ou do agachamento “sumo” porque me causa vergonha alheia. O que dizer então de procedimentos do tipo executado em algumas clínicas como o coice com “choquinho” no bumbum ? Ai então já é caso de Polícia kkkkkk.

Os melhores exercícios para os glúteos, incontestavelmente, são os agachamentos com amplitude total,
desde que não haja, obviamente, retroversão de quadril ou pélvica. Sobretudo os agachamentos unilaterais (avanço/afundo) com a perna da frente apoiada em um step, para uma maior amplitude na fase excêntrica com maior flexão de quadril; aliás esse é o meu favorito. Pode ser realizado utilizando-se um par de halteres ou o Smith Machine. Como já foi dito anteriormente um movimento de isometria pode ser utilizado antes dos agachamentos numa bi-série como meio de intensificar o exercício.
Treinos da internet e de “celebridades” na maioria das vezes vão, no mínimo, te decepcionar. Procure sempre profissionais credenciados, qualificados e, de preferência, atualizados. Seu bumbum e sua saúde agradecem.

 

NOTA: A atleta Melina Serra,
que posou para esta matéria,
é preparada por Sérgio
Sheman, autor do texto.
Este novo rosto do Wellness
paulista vai estrear
nos palcos em março de
2018 em grande estilo. Podem
apostar!
IG – @meelinaserra
sheman_gluteos_

 

 

 

Texto: SERGIO SHEMAN
Bioquímica do exercício
www.shemansports.com
IG – @sheman2015

About carlos casarin

Check Also

Encontro de Gigantes

Minotauro, Esquiva Falcão e outras feras dos ringues participam de ação do UFC no Brasil Franquia …