quarta-feira , 8 julho 2020

Uma arte mortal – A história não contada do Tae Kwon Do

Uma arte mortal – A história não contada do Tae Kwon Do

 

Após celebrar 50 anos do ensino da modalidade no Brasil, o Tae Kwon Do ganhou uma obra literária a altura desta data comemorativa. O livro “Uma arte mortal – A história não contada do Tae Kwon Do” foi escrito pelo jornalista canadense Alex Gillis e no final de 2018 ganhou sua versão brasileira totalmente atualizada, com novos conteúdos e correções pontuais, e ainda 7 capítulos inéditos com registros incríveis coletados pelos mestre Sergio Moller Jr de Porto Alegre (RS). O brasileiro e grande estudioso da modalidade começou a trabalhar na tradução da obra original em 2017, mas sua ampla pesquisa e conhecimento do assunto acarretaram em um complemento importantíssimo para a publicação, destinada não apenas aos amantes do Tae Kwon Do, mas aos fãs e entusiastas de outras artes marciais.

LIVRO

A obra principal é fruto de uma investigação meticulosa e abrangente de Gillis, que treinou vários estilos de Tae Kwon Do e outras artes marciais por mais de 35 anos. Em meio a muitas lendas e mitos, o autor entrevistou dezenas de mestres, instrutores e fontes ligadas ao desenvolvimento da modalidade trazendo ao leitor não apenas fatos surpreendentes, mas construindo uma narrativa envolvente, similar a um romance de espionagem. Isso porque, além das tradicionais histórias e fictícias façanhas de uma arte marcial criada por guerreiros honrados existem verdades ocultas e por muitas vezes sórdidas de dentro das forças armadas coreanas, envolvendo espiões, gângsters e autoridades públicas em uma jornada que levou ao empoderamento de milhares de pessoas em mais de 150 países. A narrativa tem fatos duros e passagens delicadas, mas que ajudam o leitor a compreender como se deu a construção da identidade do povo coreano e quais são as raízes profundas dessa arte que ainda possui uma literatura escassa e pouco abrangente.

 

Entre os nomes de peso que aparecem no texto estão o general Choi Hong-hi e seu braço direito no início da ITF, Nam-te Hi, Chang-keun Choi, um dos doze mestres originais do taekwondo da Associação Taekwon-Do da Coréia, Un-yong Kim, fundador da WT e do Kukkiwon, Jhoon Rhee, considerado o “pai do Tae Kwon Do norte-americano”, entre outros personagens extraordinários.  Eventos como a Guerra da Coreia, Guerra do Vietnã, Guerra Fria, ditadura e até mesmo os Jogos Olímpicos também serviram de pano de fundo para um conto político e controverso, onde a missão principal era mostrar o renascimento de uma nação humilhada pelo período colonial japonês e a ascensão de adeptos nos quatro cantos do mundo por meio de uma filosofia marcial singular e extraordinária. Não é a toa que o livro se tornou best seller traduzido e lançado na Argentina, Grécia e Alemanha.

 

Já nas mais de 100 páginas extras sobre a História do Tae Kwon Do no Brasil, Moller faz um “livro dentro do livro”, conectando histórias, recordando como era a realidade dos pioneiros que introduziram a modalidade no país, passando pelas competições mais tradicionais do esporte e chegando até o parataekwondo, que vem conquistando seu espaço no presente. Taekwondistas renomados como o Grão Mestre Alexandre Gomes,  José Afonso do site tkdlivre e o campeão Carlos Eduardo “Caroço” Nogueira Loddo municiaram Sergio de relatos densos e materiais históricos de décadas atrás para compor uma narrativa rica para os praticantes e fãs de arte marcial.

 

Moller discorre sobre os desafios dentro e fora dos tatames para o crescimento da modalidade, especialmente na chegada dos primeiros mestres ao Brasil em meio a ditadura militar dos “Anos de Chumbo”. Fala ainda sobre o preconceito com os orientais vividos pelos pioneiros, os desafios de “Helio Gracie”, a contribuição da revista Kung Fu para transmitir a boa imagem da modalidade, finalizando com as dificuldades e oportunidade em manter-se no esporte olímpico. Assuntos tecidos de forma didática e criteriosa, apresentando uma visão bem clara da realidade em que o esporte está inserido.

 

Mestre na Oriente Academia, Moller também é graduado e licenciado em Educação Física atuando há mais de 20 anos com a modalidade, tendo realizado estudos relevantes sobre adaptações pedagógicas na prática do Taekwondo Infantil. Incentivado pelo grão mestre Alexandre, sabendo das dificuldades em encontrar fontes idôneas sobre a modalidade e ciente de que a maioria dos alunos não leem inglês, o que restringe muito a busca por conteúdo especializado, Sergio abraçou o propósito de expandir o conhecimento técnico e histórico, trazendo aos leitores a oportunidade de unificar as histórias da modalidade a partir da perspectiva dos principais grupos.

 

Quem se empolga com os contos ouvidos dentro das academias (dojangs), irá se sentir ainda mais apaixonado pelo esporte e seus mestres.

ALEX GILLIS

 

SERGIO MOLLER Jr.

 

 

 

 

Sobre combat@123

Check Also

Esquiva e Adriana Araújo vencem primeiro Boxing For You de 2020

No último sábado (29/02) a Arena de Lutas, localizada na Barra Funda, zona oeste de São Paulo, …