segunda-feira , 25 maio 2020

SÉRGIO BATARELLI

“O Boxe nunca esteve em baixa!”

Um dos empresários mais renomados do país, Sérgio Batarelli celebra em 2019 o sucesso do Boxing For You, um show de entretenimento que colocou o pugilismo novamente em destaque no cenário esportivo nacional. “Polêmico” e também grande visionário no campo de eventos, o paulista relembra ainda em uma matéria exclusiva fatos que marcaram o mundo das lutas e que prometem mudar os parâmetros do Boxe brasileiro nos próximos anos.

                                                                                                                                                                       FOTO: Aline Bassi/Balaio de ideias

 

 


 

 

 

 

 

 

A nova campeã mundial dos Super Leves, a brasileira Adriana Araújo (à direita), domina a argentina Claudia Lopez nos 10 rounds. Medalhista olímpica agora luta profissionalmente.

 

 

FOTO: Aline Bassi/Balaio de ideias

 

 

DE ESPECTADOR A DONO DO ESPETÁCULO

Fã de desenhos como o Samurai Kid e da série Kung Fu, com David Carradine, Sérgio se inspirou nos heróis da telinha para entrar no tatame. “Quando eu era criança, aqui no Brasil só tinha Karatê e Judô. Eu sempre ia numa academia no bairro Itaberaba – SP, mas não tinha dinheiro, então não dava pra treinar, só ficava olhando, sonhando. Com 10 anos de idade um amigo foi treinar na academia Tai San de Kung Fu e eu quis ir junto, tirei dinheiro da poupança e comecei de fato. Daí não parei mais”, conta Batarelli, que foi campeão de Kick Boxing e Boxe amador.

Ainda jovem, passou a se dedicar ao Full Contact, que tinha como uma das principais linhas o Kick Boxing, modalidade que já existia no Japão, mas que não era muito conhecida no Brasil. Sergio estudou a modalidade, juntamente com o Boxe e outros tipos de combate em pé, desenvolvendo um sistema próprio de treinamento e ensino. Como já atuava como treinador, logo passou a ser empresário de atletas e produtor de eventos.

“Eu acordava os combates, contratava lutador, ia nas TVs para negociar os cachês e a transmissão, atuava na arbitragem, ajudava na montagem e desmontagem do ringue, entre várias funções dentro da competição. No início tudo era muito difícil porque não tinha ninguém pra ajudar, mas fui aprendendo e me encantando com esse lado de business e entretenimento. Pensava: o dia que parar de lutar, eu fecho a academia e viro promotor. E deu certo”, lembra o gestor de carreira e projetos.

Batarelli de fato tinha (e ainda tem) uma espécie de talento nato para organização de eventos e foi pioneiro em várias empreitadas históricas no cenário esportivo nacional. Criador do International Vale Tudo Championship (IVC), evento de MMA considerado um dos mais violentos do mundo na década de 1990, trabalhou edesenvolveu do famoso K-1, o maior evento de trocação de todos os tempos, e o Pride, evento internacional de Vale Tudo, no Brasil. Também foi responsável por trazer o UFC em sua primeira passagem no Brasil, em 1998.

“Primeiro, meu sonho era fazer o Full Contact/Kick Boxing ser protagonista em uma época que o Boxe dominava e eu consegui. Tinha contrato com SBT, Record, Manchete, Bandeirantes… No Nordeste, principalmente, os combates paravam a cidade. Foi uma realização para mim. Como já não podia subir mais no ringue, passei a atuar para o desenvolvimento de carreira e de projetos… Todas as vezes me chamam de louco, mas sempre dá certo”, afirma.

DE LAS VEGAS PARA O BRASIL

Após anos morando no exterior, Batarelli aproveitou a vasta experiência adquirida para iniciar a nova fase. Foi assim que surgiu o Boxing For You, que já é considerado o maior evento de pugilismo da América do Sul.

“Não é só uma competição. É entretenimento. Tudo é feito igual a Las Vegas, da iluminação ao som, do posicionamento do locutor à logística. Passei sete anos trabalhando na Top Rank (agência americana que já promoveu supercombates, como Muhammad Ali versus Joe Frazier) aprendendo cada detalhe. Me senti pronto para executar agora no Brasil”, lembra Sérgio.

Quem esteve na 5ª edição do evento, no mês de março, sentiu na pele o glamour dos grandes combates vistos em filmes norte-americanos. Empresários e executivos de grandes empresas, celebridades do esporte e da TV, como o ex-campeão do UFC José Aldo, os atores Malvino Salvador e Rodrigo Santoro e a pentacampeã mundial de Jiu Jítsu Kyra Gracie, desfilaram com todas as pompas pelos corredores do Portobello Safari & Resort, em Mangaratiba (RJ).

 

 

Kyra Gracie, Pentacampeã Mundial de Jiu Jitsu e o ator Malvino Salvador, seu marido, entre muitas outras celebridades, prestigiaram a 5ª edição do Boxing For You no Portobello Savari & Resort em Mangaratiba (RJ).

 

 

 

 

 

 

 


“A proposta é que o Boxe se consolide nos moldes de Las Vegas, que se utiliza muito do MGM Grand Arena como palco principal dos seus eventos, o que tornou o hotel uma das principais atrações turísticas da cidade. Levamos um ano e meio para planejar o Boxing For You e fazer tudo acontecer perfeitamente”, ressalta Batarelli.

A 7ª edição do Boxing For You foi realizada no último dia 18 de outubro na Arena de Lutas em São Paulo (SP). O card completo foi transmitido pelo canal BandSports mas a luta principal foi exibida ao vivo pela TV Bandeirantes, uma vitória imensa do boxe, que voltou a ser transmitido em sinal aberto após décadas.

“Começamos com Bandsports, depois veio SporTv, depois FoxSports, DAZN. A TV Brasil chegou a transmitir uma luta, mas meu objetivo era chegar em uma TV aberta grande. Acabei assinando exclusividade com a Bandeirantes. A partir de 2020, ela irá transmitir pelo menos uma noite de lutas do Boxing For You por mês. Isso mostra que a paixão pelo Boxe está viva. O que realmente faltava era evento e conteúdo de qualidade que valorizasse o esporte e os esportistas brasileiros”, explicou o CEO do Boxing For You.

BOXE EM BAIXA? #SQN

Batarelli lembra que o Boxe pode ter tido um momento de baixa no Brasil, mas ele nunca perdeu seu status no cenário esportivo internacional. “Fora do Brasil o Boxe sempre foi gigante. Veja na Europa, o UFC é pequeno. O que aconteceu foi que tivemos poucos grandes campeões, aí a TV parou de mostrar e consequentemente o público em geral parou de saber quem era quem, então deu a impressão de que sumiu”, conta Sérgio, reforçando também que toda modalidade vive seus momentos de altos e baixos.

“Eu já falava anos atrás que o Boxe ia subir, subir, subir, e uma hora cair, estabilizar e ficar. É igual o WWF, aquela luta livre “combinada” dos Estados Unidos. Agora o Boxe tem uma vantagem. Quem não gosta de MMA, gosta de Boxe. E quem gosta de MMA também gosta de Boxe. No MMA, inclusive, os melhores são bons pugilistas. Por isso ele ainda tem relevância”, afirma.

Além disso, a falta de profissionalismo no esporte também foi um fator que contribuiu para que o Boxe ficasse na geladeira por um período. “Depois daquela época do Maguila, Popó, houve sim muito empresário oportunista que acabou queimando a modalidade no mercado. Haviam alguns programas semanais e as TVs compravam algumas lutas, mas os caras não entregavam o prometido. Vendia uma luta com um gringo “x” e na hora era outra coisa e com um nível baixíssimo. Estelionato puro. Fora a produção de eventos ruins. Fazer uma luta boa num lugar feio não atrai público, não oferece estrutura pra TV e ninguém queria associar sua marca. Por isso um evento só faz sucesso se ele for embrulhado pra presente, ou seja, quando você trata ele como entretenimento. E isso não estava sendo feito”, explica.

O SEGREDO DO SUCESSO

Fazer o Boxing For You um case de sucesso requer, claro, um investimento financeiro volumoso, buscando garantir a execução de um verdadeiro espetáculo. A plataforma conquistou o apoio da Netshoes, gigante do e-commerce, da Paris Filmes, um dos principais estúdios cinematográficos do Brasil, e recentemente comemorou a entrada da Strong como fornecedora de luvas e materiais esportivos. O trabalho foi estruturado juntamente com o BSM Group, que realizou uma grande pesquisa de mercado e escolheu os melhores profissionais para montar o show.


 

Premiação da sétima edição do Boxingo For You: da esquerda para a direita: Geyza Cariny, presidente do CNB; a campeã Adriana Araújo; Sergio Batarelli; Éder Jofre e Márcio Fraccaroli, CEO do Grupo Paris Filmes.

 

 

 

 

 

FOTO: Aline Bassi/Balaio de ideias

 

“Eu olho as coisas pra frente. Em todo projeto eu chego no investidor e falo: temos “x” tempo para ter retorno. Não existe plantar um pé de maçã e colher no mesmo ano. Evento é a mesma coisa e os investidores também tem consciência. Por isso, o Boxing For You deu certo. O evento tem 3 anos hoje, então acredito que até meados de 2020 a gente chegue no ponto de equilíbrio e de 2021 pra frente aí sim veremos o lucro”, explica.

A presença de atletas de alto nível também é um fator importante que chama a atenção do público e, principalmente, dos boxeadores, que sonham com a fama e reconhecimento. No Rio de Janeiro, em março, os medalhistas olímpicos Robson Conceição, Esquiva Falcão e Adriana Araújo foram os protagonistas do card. Já em São Paulo, Adriana Araújo disputou o Título Mundial Silver do Conselho Mundial de Boxe (CMB) contra a argentina Claudia Andrea Lopes. Por decisão unanime, a baiana levou para casa o cinturão na categoria Super-Leves (até 63,5 kg).
“Foi o primeiro título mundial dessa nova plataforma. O objetivo é formar novos ídolos e construir a carreira deles nacionalmente e internacionalmente. A proximidade com a Top Rank ajuda bastante. Por isso o Boxing For You é de extrema importância para o pugilismo nos dias de hoje. Muitos atletas estavam indo pra fora pois não tinham eventos bons aqui para participar ou iam para o MMA. Agora os boxeadores querem lutar Boxe e querem lutar no Boxe For You. Para os novatos, a divulgação é boa porque o evento tem transmissão ao vivo, ajudando tanto na captação de patrocínio como na aproximação do atleta com os fãs”, conta.

BOXE OU MMA? POR QUE NÃO MUAY THAI…?

Com o Boxing For You bem encaminhado no Brasil e o UFC ainda atraindo bastante audiência dos fãs de combate, Sergio Batarelli revela com exclusividade que tem planos ousados para o futuro. “Vou continuar investindo no Boxe, claro, mas quero fazer uma produção paralela de Muay Thai. Fazer um evento profissional e de altíssimo nível, que ainda não temos no mundo. Eu penso como entretenimento, igual fazia no K1”, revela.
Ideias para novos eventos e formatos também não faltam com a experiência adquirida no universo das lutas. “O que sempre gostei e sempre fiz é misturar evento, colocar Karatê com Kick Boxing, MMA com Boxe. Gosto muito de torneio, o que fez o K1 famoso. O último que fiz foi na Venezuela, 8 brasileiros contra 8 norte-americanos. O campeão lutou 4 vezes na mesma noite. Isso me atrai bastante também”, comenta.

Antes disso, porém, sua jornada no mundo do Boxe ainda merece atenção. “Preciso fazer o Boxe virar lucrativo de novo. Por isso estou muito focado no Boxing For You. Estamos na parte de investimento, espero que em 2020 a gente consiga empatar o jogo e depois sim ter lucro. Aí, quando a engrenagem andar sozinha, e eu não precisar mais correr atrás de tudo, parto pra esses novos planos.”

Para quem acredita em missão de vida, Batarelli reforça que a sua é trabalhar em prol do desenvolvimento do esporte, no caso, das lutas.

“Acho que nasci para esse negócio de luta e eu sempre quis deixar um legado. Em tudo que eu entro é para ser o melhor. Posso conseguir algumas vezes, outras não, mas a meta é essa. O IVC ficou atrás do Pride e UFC como melhor evento de lutas do mundo; terceiro lugar é pódio também. O Boxing For You já é o melhor evento da América do Sul. Colegas norte-americanos dizem inclusive que de produção ele já bate o México e alguns países da Europa. Isso me deixa feliz mas eu quero mais. E não adianta copiar, não tem igual… São anos de vivência, eu vou nos lugares, aprendo, converso, estudo… Esse é meu diferencial e eu trouxe esse know how para o Brasil”, conclui.

Sobre combat@123

Check Also

Muay Thai Raiz

Quando se fala na história do Muay Thai no Brasil, não tem como não pensar …