sábado , 30 maio 2020

Seis mitos e verdades sobre a alimentação

A era da informação instantânea modificou pra valer nossas relações sociais e de consumo. Quando se fala em alimentação, muitas vezes as informações passadas vem por meio de blogueiros (as), subcelebridades e influenciadores digitais que sequer são formados em áreas correlatas à saúde. Em tempos onde “dicas sem filtro” são facilmente propagadas é preciso ficar atento à qualificação dos seus produtores, pois muito do que se fala está repleto de erros e achismos.

Assim, vamos abordar alguns mitos e verdades que estão circulando no ambiente digital, esclarecendo seis dúvidas comuns à grande maioria da população.

Jejum intermitente, low carb, dieta da lua, dieta do chá, enfim… Qual a melhor estratégia para emagrecimento?

Durante o processo de emagrecimento, a perda de gordura se deve por vários fatores, mas o principal é o déficit calórico, ou seja, consumir menos calorias do que se gasta. Quando o balanço energético é negativo o peso corporal diminui, uma vez que utilizamos nossos próprios estoques energéticos para manter o metabolismo funcionando adequadamente. Portanto, se você quer ter resultado, não importa ter mais ou menos refeições ao longo do dia, consumir mais carboidrato ou não, mais ou menos gordura e proteínas, etc…. O emagrecimento é um processo multifatorial, que envolve não só alimentação e atividade física, mas questões sociais, emocionais, psicológicas e metabólicas. O nutricionista pode te ajudar a entender melhor o funcionamento do seu organismo e com isso traçar a melhor estratégia para atender suas necessidades e objetivos.

O que causa a obesidade: carboidratos ou gordura?

Conforme citado anteriormente, se para o emagrecimento é necessário o deficit calórico, para ganhar peso é necessário, dentre outros fatores, o superávit calórico, ou seja, comer mais calorias do que se gasta.

O consumo exagerado de alimentos ricos em açúcar, gordura e carboidratos ajudam sim no aumento de peso, mas não é só isso que causa a obesidade. Estudos e pesquisas recentes comprovam que vários fatores podem estar envolvidos no processo de ganho de peso, entre eles a predisposição genética, os distúrbios hormonais, falta de atividade física, estilo de vida sedentário, problemas emocionais e, até mesmo, a infecção por um vírus específico.

Claro, consumir menos carboidratos processados será útil para sua saúde, ainda mais se te ajudar ter uma alimentação mais equilibrada. Mas, se você deseja perder gordura, o que importa é terminar a maioria dos dias ingerindo menos calorias do que se gasta.

Tem que comer menos gordura para emagrecer?

As pessoas erroneamente acreditaram que comer menos gordura ou retirar toda a gordura da dieta estimula a perda de peso. Isso não faz o menor sentido uma vez que você pode ganhar gordura mesmo fazendo uma dieta com baixo consumo da substância.

Excluir totalmente a gordura da alimentação também não é saudável por diversos fatores. A gordura saturada não necessariamente vai te causar um ataque cardíaco, as gorduras atuam na produção de hormônios sexuais, a produção de testosterona, por exemplo, depende muito das gorduras da sua dieta. Os lipídios atuam na manutenção das membranas celulares e nos processos de transporte e armazenamento de vitaminas nas células, sendo uma ótima ferramenta de dieta, pois diminuem a rapidez da digestão dos alimentos.

A gordura trans é o único tipo de gordura que se mostra categoricamente prejudicial à saúde, esta sim, deve ser totalmente evitada.

Além disso, se você aumentar a ingestão de gordura em uma única refeição específica, não vai interferir diretamente no ganho de peso. O máximo que irá acontecer é saciar aquele desejo momentâneo e prolongar o suprimento de energia para o corpo.

Porque devo consumir suplementos?

Quantas vezes você ouviu que alimentos in natura são sempre melhores que suplementos sintéticos? Em geral, a palavra “natural” tem uma conotação positiva, enquanto “sintético” e/ou “químico” tem uma conotação negativa.

Mas a verdade não é bem assim. Alguns compostos são mais eficazes na forma suplementar.

É muito difícil obter a quantidade ideal de creatina necessária para o organismo somente por meio da alimentação. No que diz respeito principalmente às vitaminas, os alimentos nem sempre são superiores aos suplementos. Não há dúvidas de que mulheres que planejam engravidar ou estão no primeiro trimestre da gestação devem receber doses adequadas de ácido fólico, que é um dos poucos micronutrientes mais biodisponíveis na forma sintética do que na alimentação natural.

A suplementação não substitui uma dieta equilibrada, mas ajuda a complementar uma alimentação balanceada. Ou seja, os suplementos são grandes aliados da alimentação e podem ajudar tanto no ganho de massa magra como na perda de gordura.

Creatina causa problemas nos rins, queda de cabelo e/ou aumenta a testosterona?

De todos os suplementos disponíveis, a Creatina é um dos mais amplamente pesquisados, tendo inúmeros artigos científicos comprovando seus benefícios. Estudos mostram que a creatina é uma substância eficaz, que melhora o treinamento e o desempenho de exercícios de curta duração e alta intensidade, bem como sua recuperação. Portanto, ela não prejudica os rins, nem causa queda de cabelo ou aumenta sua testosterona.

Sal deve ser cortado totalmente de sua dieta?

O sal (sódio) é um mineral cujo consumo é essencial para a saúde. O sódio está envolvido na contração muscular, incluindo os batimentos cardíacos e nos impulsos nervosos. O problema é que muitas pessoas consomem uma grande quantidade de alimentos processados que contem sódio e estes não são saudáveis. A ingestão muito alta e muito baixa de sódio está relacionada a problemas de saúde como: aumento do risco de doenças crônicas, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, doenças renais, entre outras. Por isso, a redução e o controle do sal é de extrema importância para a manutenção de uma vida saudável.

 

Texto: Marcelo Steinle
Nutricionista CRN3 55086
@nutrimarcelosteinle
Av.Miruna, 553, Moema – S.Paulo-SP

 

 

 

 

Sobre combat@123

Check Also

6 MOTIVOS PARA NÃO PULAR REFEIÇÕES

Trabalho, estudo, família, mil responsabilidades… Não é fácil administrar tanta coisa e ainda seguir firme …