terça-feira , 12 novembro 2019

MESTRE ORLANDO SARAIVA

MESTRE ORLANDO SARAIVA

Trajetória até a faixa preta

 

A história do Mestre Orlando Saraiva é um tanto inspiradora e prova que capacidade de superação pode vencer qualquer obstáculo. Com uma determinação incomum, conseguiu canalizar todas suas dificuldades passadas na infância se transformando em um agente de mudanças ajudando crianças que passaram por problemas semelhantes aos seus. Ficou órfão cedo e aos sete anos foi internado na FUNABEM (Fundação do Bem-Estar do Menor), onde foi criado e conheceu o Jiu-Jitsu aos 13 anos com o Mestre Osvaldo Gomes da Rosa “PAQUETÁ”. Treinou na FUNABEM até a faixa verde e a convite de seu Mestre foi fazer um treino na academia do Mestre Hélio Gracie. Como se destacou em um treino com Rolls Gracie foi convidado pelo Mestre Carlson Gracie a continuar treinando lá, onde se formou faixa preta em 1.969.

Foi um dos melhores lutadores de Jiu-Jitsu de sua época na categoria até 61 kilos, sendo titular da Equipe Gracie por vários anos que era formada através de seletivas internas entre as academias do Mestre Hélio e Carlson para disputar  os Campeonatos da época.

Um exemplo de vida do garoto órfão que se tornou professor na mesma instituição que o acolheu e posteriormente conquistou a maior graduação no Jiu Jitsu. Mestre Saraiva conseguiu ao longo de sua vida retribuir aos seus alunos e a sociedade com Jiu Jitsu que tanto o ajudou. Com um talento nato para as lutas, treinou Judô com o Mestre “De Lucas” sendo um dos raros atletas a conseguir títulos expressivos no Jiu Jitsu e no Judô. Formado no ambiente competitivo da Academia Carlson Gracie, Mestre Saraiva competia constante e simultaneamente nos campeonatos de Jiu-Jitsu, Judô, Luta Livre e Boxe.

Mestre Saraiva lembra com satisfação dos treinos conduzidos por Carlson Gracie e e de seus companheiros de treino que formaram a memorável equipe do Mestre Carlson Gracie dos anos 70: Rolls Gracie, Rocyan Gracie, Reyson Gracie, Sérgio Iris “Serginho de Niterói”, Fabinho Macieira, Carley Gracie, o Senador Arthur Virgilio Neto, Edir, Tarcisio Moreno, Waldemar Guimaraes, dentre outros.

Começou cedo a lecionar ajudando o Mestre Paquetá na FUNABEM, depois assumiu a turma, sendo seu primeiro emprego registrado em 1.969. Ajudou o Carlson quando abriu a academia em Niterói no ano de 1970, deu aulas na Academia do Carlson entre os anos de 1.972 a 1.974 e na Faculdade Santa Edwirges – RJ. Em 1.976 (transferido pela FUNDABEM) se mudou para São Paulo e posteriormente para o interior (Mogi Mirim – SP) iniciando um trabalho que desenvolveu o Jiu-Jitsu Paulista Competitivo, onde foi o pioneiro na região de Campinas e um dos primeiros no Estado de São Paulo.

 

Desenvolvimento do Jiu-Jitsu no Estado

 

O Mestre Orlando Saraiva ajudou muito no crescimento do esporte no estado de São Paulo, principalmente na parte Competitiva, pois tinha essa cultura da Academia Carlson Gracie.

No mesmo ano que chegou ajudou na organização do 1º Campeonato Paulista ao lado do Mestre Octávio de Almeida (pai) realizado em São Paulo em 12/12/1.976 em parceria com a Federação Paulista de Pugilismo (FPP). O Campeonato Paulista foi realizado de 1976 até 1981. De 1981 até 1985 o Mestre realizou a Copa do Sol, um dos únicos eventos realizados na década de 80, quando o Jiu-Jitsu tinha uma fase bem devagar em termos de organização de eventos, devido à falta de apoio e outros fatores como o falecimento do Mestre Octávio de Almeida em 1983 e do crescimento muito grande do Judô.

Em uma reunião entre os professores na Copa do Sol em 1983 decidiram criar a Liga Niteroiense de Jiu-Jisu (LINJII) que realizou diversos importantes eventos na década de 80 e permanece até hoje fazendo eventos.

Em 1989 voltou a ter eventos no Estado de São Paulo junto com Moisés Muradi e o Mestre sempre apoiou os eventos com o intuito de desenvolver o Jiu-Jitsu.

 

 

Explosão do Jiu-Jitsu com o UFC

 

Após a realização do primeiro UFC nos Estados Unidos em 1993, com certeza o Jiu-Jitsu cresceu absurdamente e o Mestre lembra como trabalhou duro pelo desenvolvimento do Jiu-Jitsu em diversas cidades do interior, chegando a dar aulas em 7 cidades diferentes ao mesmo tempo e formando professores e instrutores que o ajudaram a desenvolver muito a região de Campinas.

Sempre com o espirito de competição, realizava campeonatos pela Federação Paulista de Jiu-Jitsu (FPJJ) e levava os alunos para competir desde o primeiro Brasileiro Mameluc em 1993 (CBJJ), eventos da Liga Brasileira em Minas (LBJJ), eventos da Liga Niteroiense (LINJII) e eventos de MMA que ainda eram Vale Tudo.

Chegou a ter fazer dois tours pelos EUA onde teve a oportunidade de lecionar aulas ao Kimo Leopoldo (adversário de Royce Gracie no UFC 3) e dar visitar algumas academias pela Califórnia em 1996 e 2001.

Em 1998 juntamente com Moisés Muradi, montou a Federação do Estado de São Paulo com a ideia de desenvolver o Jiu-Jitsu no interior e realizando diversos campeonatos até os dias atuais.

 

Aposentadoria e Legado

 

Com mais de 100 faixas pretas espalhados por todo o Mundo, esse ano comemorou 50 anos de Faixa Preta e vê seu legado crescendo a cada dia. Seu filho, faixa Preta 4° grau, atualmente reside na Irlanda e trabalha pelo desenvolvimento do Jiu-Jitsu no país e em toda Europa.

 

Atualmente aposentado, o Professor Faixa Vermelha de Jiu-Jitsu e Faixa Preta de Judô que também se formou em Pedagogia é um verdadeiro vencedor. Fica muito feliz ao ver o crescimento do Jiu-Jitsu no Mundo inteiro e em especial no Estado de São Paulo, saber que fez parte disso desde o começo e se orgulha de toda sua vida profissional exclusivamente dedicada ao Jiu-Jitsu, sendo um dos únicos (fora os Gracie) que teve essa dedicação.

 

Atividades como atleta

 

Campeão Mundial de Jiu-Jitsu – CBJJE – 2.007

Campeão Sul-americano de Jiu-Jitsu – CBJJE – 2.007

Bi-Campeão Carioca de Judô – 1.968 / 1.969

Campeão Fluminense de Judô – 1.969

Bi-Campeão Carioca de Jiu-Jitsu – 1.970 / 1.971

Campeão Absoluto de Jiu-Jitsu – 1.979 – FPP

Campeão Brasileiro de Judô – Forças Armadas – 1.970 – RS

Campeão no Intercâmbio de Judô – 1.969 – ES

Campeão da Copa Bandeirante de Judô – 1.972

Vice-Campeão Carioca de Boxe Estreantes – 1.975

Tri-Campeão Paulista de Jiu-Jitsu – 1.977 / 1.978 / 1.979 – FPP

Bi-Campeão do Troféu “Lutador Mais Técnico do Ano” – 1.978 / 1.979 – FPP

Vice-Campeão Paulista de Jiu-Jitsu – 1.981

3º Lugar Paulista de Jiu-Jitsu – 1.992

Vice-Campeão Brasileiro de Jiu-Jitsu – LBJJ – 1.992

CAMPEONATO JIU JITSU 1965

Sobre combat@123

Check Also

Peter Venâncio Júnior – Peixinho será?

Peixinho será?   Considerado uma das revelações do boxe nacional, Peter Venâncio Júnior encara uma …