segunda-feira , 19 agosto 2019

Adaylton Freitas

 

ADAYLTON FREITAS

Nos cinco anos que morou na Tailândia, Adaylton Freitas fez dezenas de lutas, conquistou três títulos mundiais e foi o primeiro brasileiro a ganhar, em 2012, uma luta no Thai Fight, um dos mais afamados torneios de Muay Thai do mundo. Porém, em 2014, quando suas bolsas eram mais valiosas e o retorno financeiro estava crescendo, um fato inesperado aconteceu. Após ter a canela aberta em um combate, contraiu uma infecção e teve que cortar a carne para evitar que bactérias atingissem o osso da perna e como consequência teve que se afastar dos ringues por quase dois anos. Passou por cirurgias e terapias complicadas. O trauma foi grande, mas a determinação e a perseverança não permitiu que ele se abatesse e já recuperado, volta para o continente asiático no final do ano, com grandes combates agendados.
Conheça a carreira desse grande atleta!

COMO TUDO COMEÇOU
Nascido no dia 21 de abril de 1990, na cidade de Boituva – (SP), Adaylton Parreira de Freitas iniciou sua trajetória no mundo das lutas de contato aos seis anos, praticando Karatê e aos oito anos e meio foi para o Kung Fu. Com 12 anos, foi viver o sonho da maioria dos garotos: tentar ser um jogador profissional de futebol. Conseguiu treinar em vários clubes, mas aos 17 anos, após ser dispensado do Rio Preto, em São José do Rio Preto – SP, sentiu que o que mais lhe dava prazer eram realmente as lutas. Voltou para sua cidade e começou a treinar Muay Thai com Leandro Henrique, seu antigo professor de Kung Fu.

Mas o jovem queria mais e conheceu pela internet a Confederação Brasileira de Kickboxing (CBKB), entidade que realizava treinamentos, com atletas renomados, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. Assim, em 2008, quando tinha completado 18 anos de idade Texto: Worney Almeida de Souza conseguiu ser incluído às terças-feiras, no período da manhã. Foi muito bem recebido por todos. Orientado pelo professor Cris, convivia com Marcos Rogério de Lima, o Pezão, que hoje está no UFC, Thiago e Amadeu Cristiano. Os resultados foram tão bons que, duas semanas depois de iniciar os treinamentos, foi convidado para disputar o Campeonato Paulista de Kickboxing, sendo vice-campeão na categoria de 75 kg. Na sequência, mesmo sem treinador, mas contanto com o apoio do ex-campeão Marcão Rodrigues, que posteriormente se tornaria seu mentor, foi disputar o Campeonato Brasileiro.
Chegou na final, mas machucado não lutou, ficando com o vice campeonato.

 

 

Com seu grande amigo e mentor Marcão
Rodrigues, responsável por sua projeção
no mercado internacional.

Morando na Academia

Depois dos bons resultados, recebeu convite para treinar na academia MR (Marcos Rodrigues). Como precisava de um treinamento mais intensificado, resolveu  mudar para São Paulo. Marcão conseguiu um bico de segurança nos finais de semana para que Adaylton pudesse se sustentar. Ele topou o desafio e veio para a capital com apenas uma mochila e uma grande vontade de lutar. A rotina era dura: treinava todo dia, dormia na academia e almoçava no Bom Prato (programa de alimentação do governo do Estado que oferece refeições ao custo de R$ 1,00) que ficava a dois Km da academia.
À noite comprava um prato feito e dividia para fazer duas refeições.
Vendo seu empenho, Marcão agendou cinco lutas entre 2008 e 2010. Assim o jovem lutador foi viajando, lutando e aprendendo. Ele lutava dependendo do peso exigido no torneio: se não conseguia para a categoria 67 kg, subia para 70 kg. Marcão também deu espaço para Adaylton ministrar algumas aulas na academia. Foi o momento de acumular experiência.

Viagem para a Tailândia

A vida ia em ritmo acelerado. Marcão opinou que ele só iria evoluir nas artes marciais se fosse para a Tailândia e o futuro campeão foi ao encontro de Pairojnoi, tailandês que estava ministrando seminários no Brasil, na academia de Sandro de Castro, em Santos. Pairojnoi disse que Adaylton poderia treinar em sua academia. O custo mensal seria o correspondente a R$ 700,00, isso sem considerar passagem, estadia e outras despesas. Adaylton conversou com seus pais e eles conseguiram um empréstimo com os patrões. Também a vida pessoal tomava um outro rumo; nessa mesma época ele conheceu Jéssica Vilela, que passou a treinar na academia MR. O relacionamento se consolidou rápido e em um mês já estavam noivos. Dezenove dias depois Adaylton viajou para o sudeste asiático, em 09.03.2011. Não conhecia outro idioma, nunca tinha entrado num avião, mas foi enfrentar o desafio. Depois de três meses na Tailândia, Jéssica largou o emprego no Brasil e foi ao seu encontro.

As Primeiras Lutas

Ficou treinando um mês no campo Rompsitong Gym, na cidade de Kratumbhen, na academia do mestre Pairojnoi. Tirou peso duas vezes, mas as lutas foram desmarcadas. Um lutador, Sheymon Moraes, sugeriu que ele fosse para a academia Muay Thai Plaza 2004, em Bangkok. Após dez dias fez sua primeira luta e ganhou por nocaute no terceiro round. Os organizadores gostaram do estilo do brasileiro, tanto que em sete dias Adaylton estava de novo no ringue e um mês depois fazia sua terceira luta. Assim durante o ano de 2011 Adaylton já tinha lutado nos dois principais estádios tailandeses: no Lumpinee Boxing Stadium e no Rajadarmmer Boxing Stadium.

Nesse segundo local ganhou por abandono, no quarto round, mas também recebeu um corte de dez pontos ao lado do olho direito e mais sete pontos ao lado do esquerdo. Sobre esse momento, destaca: “Recebi cerca de 70 pontos no rosto em toda a carreira!” A rotina de treino diário era dura: “Chegava na academia as seis da manhã e corria treze quilômetros. Depois batia saco e fazia trabalho de sparring. À tarde chegava às 15hs e ia embora às 19hs”, relembra o jovem lutador. Ficou na academia de Bangkok por três anos. Os estrangeiros chegavam e voltavam, mas ele continuava. O sustento vinha das bolsas das lutas, pois nunca teve patrocinadores. Fazia em média três lutas por mês. Chegou a lutar cinco vezes em trinta dias, chamando a atenção dos organizadores dos eventos.

 

Entre o treinador Gae e o amigo Leonardo Monteiro (Amendoim), um dos brasileiros
que mais o ajudaram na Tailândia. No Ginásio Omnoi Boxing Stadium.

O primeiro campeonato mundial foi conquistado em 2012. Venceu o Z1, organizado pelo WMC. Sua primeira luta foi contra um eslovaco e a final contra um tailandês que já havia sido campeão do mesmo torneio. Em 26 de maio subiu ao ringue e nocauteou seu adversário, no terceiro round, com uma cotovelada.

 

Sobre combat@123

Check Also

YANNE MOURA – Uma das maiores Youtuber Fitness do Brasil

A internet e as redes sociais dinamizaram e beneficiaram a sociedade “moderna” nos últimos 12 anos e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *